Artigos

Artigos

<< Voltar
A Atitude de Sama - Por Daniel Beda

A Atitude de Sama - Por Daniel Beda

A Atitude de Sama

IISM 23-11-12 – Depois dele, Sama, filho de Agé, o hararita, quando os filisteus se ajuntaram em Leí, onde havia um pedaço de terra cheio de lentilhas; e o povo fugia de diante dos filisteus. 12 Pôs-se Sama no meio daquele terreno, e o defendeu, e feriu os filisteus; e o SENHOR efetuou grande livramento.

O rei Davi tinha muitos homens a seu serviço, mas havia um grupo de homens que Deus lhe concedeu para que o ajudasse a estabelecer o seu reino. Estes homens nos dias de Saul (rei de Israel) eram desprezados e tratados como pessoas sem qualquer valor para servirem à nação. Apesar de serem desprezados pela sociedade da época, vemos neles um exemplo de coragem, fidelidade, perseverança, amor e honra, porque estavam dispostos a dar as suas vidas pelo seu Deus, pelo seu Rei e pelo seu povo.

São esses homens que a palavra de Deus chama de guerreiros Valentes de Davi.  Alguns deles derrotaram gigantes, lutaram sozinhos contra exércitos, eram adestrados para a batalha e habilidosos com suas armas, lutavam corajosamente contra seus inimigos comandados por Davi. Apesar de vermos vários relatos da valentia desses homens, um deles me chamou a atenção por sua atitude e coragem diante de uma batalha que pode ser comparada a desafios que passamos nas nossas vidas. Este valente se chama Sama.

SAMA HARARITA: Significa, no hebraico, “aquele que mora na Rocha ou aquele está firmado na Rocha”

Por isso Sama, está relacionado a vida de um discípulo de Jesus, porque Jesus é a ROCHA eterna da nossa salvação e todo aquele que está em Cristo, também está firmado na Rocha.

Qual foi a atitude de Sama?

Nos dias de Sama, havia guerra entre Israel e o povo Filisteu. Os Filisteus tinham como estratégia queimarem as lavouras que foram semeadas pelo povo de Israel, com a finalidade de deixá-los sem alimento, ficando fracos para então derrotá-los facilmente. Nos dias da colheita, os filisteus vieram para destruir uma plantação de lentilhas e o povo ao ver o ataque fugiu, deixando tudo nas mãos dos seus inimigos. A atitude de Sama foi de coragem, pois ele colocou-se no meio daquele terreno, e o defendeu, e feriu os filisteus; e o SENHOR efetuou grande livramento por seu intermédio.

O que podemos aprender com esta história?

1-Aprendemos que a vida de um discípulo de Jesus é uma vida de constante batalha contra o inimigo:

Efésios 6:12 - Porque a nossa luta não é contra o sangue e a carne, e sim contra os principados e potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal, nas regiões celestes.

Quando nos convertemos, entramos em uma constante batalha contra satanás, pois é a partir deste momento que as lutas começam. No Caminho que estamos trilhando, inevitavelmente passaremos por provações e tentações. As provações vêm de Deus, com a finalidade de aperfeiçoar a nossa fé, mas as tentações vêm do diabo com o propósito de nos destruir. 

Na história de Sama, vemos que o propósito dos filisteus eram destruir o povo e as suas plantações. Sama, pode ser eu ou você. Os Filisteus representam nosso inimigo, que são o diabo e seus demônios. As plantações, podem representar tudo aquilo que colheremos com a nova vida em Cristo. 

O texto diz que o povo fugia de diante dos seus inimigos, abandonando seus irmãos, seus filhos, sua fé em Deus e sua herança. Mas esse homem chamado Sama, apesar de estar só, não se acovardou diante do inimigo. Ele teve coragem e, confiou em Deus, não desfaleceu em sua fé e decidiu lutar por aquilo que tinha recebido como herança e o texto termina dizendo que o SENHOR efetuou grande livramento. Aprendemos que não foi a força de Sama que o livrou dos seus inimigos, mas foi a sua fé em Deus, pois foi Deus quem lutou por ele.

Infelizmente, muitos cristãos têm se acovardado diante dos ataques do diabo. Acabam desistindo diante do primeiro desafio que lhe aparece e fogem abandonando as bênçãos que Deus havia lhe preparado. 

2-Aprendemos que o ataque do inimigo se torna mais intenso quando os frutos começam a aparecer:

A estratégia do diabo é nos atacar principalmente quando estamos frutificando. Os primeiros frutos que produzimos são os frutos de uma nova vida com Cristo, este é o fruto do caráter. O segundo fruto é o fruto de vidas ganhas para Jesus, como consequência do nosso testemunho da nova vida em Cristo. Quando esses frutos começam a brotar, o ataque do diabo se torna ainda mais intenso. Foi o que aconteceu com Sama: Mesmo em tempo de guerra, ele preparou a terra, semeou lentilhas, cuidou do plantio até aparecerem os frutos. De repente ocorre o inesperado: Próximo aos dias da colheita, os filisteus atacaram para destruir o fruto do seu trabalho. 

O diabo sabe que aquele que produz fruto, será recompensado por Deus. Por isso, ele quer impedir o crescimento e expansão do Reino de Deus e ao mesmo tempo impedir de recebermos o nosso galardão. Por isso não podemos desanimar diante do ataque do inimigo, pois se o ataque se intensifica, podemos saber que estamos caminhando no rumo certo, pois o diabo só investe contra aquele que está no caminho.

3-Aprendemos que em uma batalha a nossa atitude pode determinar a nossa vitória ou derrota: Quando o inimigo ataca, podemos ter duas atitudes: 

1-Fugir e deixar no poder do inimigo aquilo que foi semeado com tanto trabalho.

2-Enfrentar o inimigo e lutar.

A atitude do povo foi fugir: O povo saiu correndo, apavorado, com medo deixando tudo nas mãos dos filisteus. Eles se renderam antes de lutar, fugiram deixando para traz as suas bênçãos. 

A atitude de Sama foi ficar e lutar: Talvez ele tenha dito: “Este campo me pertence, este é o fruto do meu trabalho”. “É o sustento da minha família e do meu povo, esta é a minha herança, é a bênção que Deus me deu”.

Qual tem sido a nossa atitude diante de determinados problemas? Corremos ou enfrentamos?

Que inspiração tinha Sama? O que impulsionou a Sama há ter essa atitude? 

Talvez ele tenha se lembrado de Davi, que quando ainda jovem não se acovardou diante de um gigante chamado Golias, enfrentando este gigante corajosamente crendo que Deus era poderoso para lhe dar a vitória. A inspiração de Sama era a atitude de Davi, seu rei. 

Qual é nossa inspiração? Nossa inspiração é Jesus, pois Ele sabendo que haveria de morrer em uma cruz não retrocedeu, mas enfrentou corajosamente. 

Os valentes de Davi nem sempre foram valentes, pelo contrário, eles eram homens desprezados, amargurados de espírito, endividados, sem valor algum, mas foram esses que Deus usou para através deles mostrar o seu poder, porque para Deus nada é impossível! Podemos afirmar com toda a convicção que ser um valente para Deus, é ser cheio do Espírito Santo e de Fé.

No amor de Jesus,

Daniel Beda.

Compartilhe com os amigos
Facebook Twitter Google+