Artigos

Artigos

<< Voltar
Crescendo como o Cedro no Líbano

Crescendo como o Cedro no Líbano

Salmo 92.12-15

O justo florescerá como palmeira; crescerá como cedro no Líbano. Plantados na casa do Senhor, florescerá nos átrios de nosso Deus. Na velhice darão ainda frutos, serão cheios de ceiva e de verdor, para anunciar que o Senhor é reto. Ele é a minha Rocha e nele não há injustiça.

O processo de crescimento espiritual

Atualmente temos passado por um período muito difícil, no Brasil e em todo o mundo. Temos visto muitas pessoas enfraquecidas, amedrontadas, angustiadas, temerosas, preocupadas com o que possa acontecer no futuro. Nós que conhecemos a Palavra, sabemos que Deus, usa as lutas e adversidades para formar as nossas vidas. Está escrito em Rm 8.29 que, todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados, segundo o seu propósito. Temos essa certeza de que mesmo diante das dificuldades, Deus está trabalhando para que aconteça algo bom na nossa vida! Deus usa essas situações para nos dar crescimento espiritual, pois se nascemos de novo, precisamos crescer até atingirmos a medida da estatura de Cristo! Ef 4.15

O Salmo 92.12 diz que o Justo crescerá como o cedro no Líbano. Deus usou uma árvore que se chama CEDRO, para comparar o processo de crescimento da vida do justo (crente, discípulo). Se Deus colocou esse exemplo para nós, então precisamos conhecer como é esse processo de crescimento que Deus está realizando em nós.

Nosso crescimento espiritual, passam por três processos:

1-Criar raízes profundas onde Deus nos plantou:

V-12,13 - O justo, crescerá como cedro no Líbano. Plantados na casa do Senhor, florescerão nos átrios do nosso Deus!

Deus comparou o nosso crescimento como a do Cedro no Líbano. Então vamos conhecer um pouco, de como é que isso acontece. Quais as características dessa árvore que Deus comparou ao crescimento dos seus filhos? O Cedro do Líbano é uma árvore que cresce até 40 metros de altura. É uma árvore secular, pois algumas delas permanecem desde antes de Cristo. São robustas, suas folhas são verdes e jamais deixa de produzir sombra. Resistem a ação de ventos fortes e não depende da chuva para sobreviver. O interessante é que suas raízes são profundas. Nos primeiros três anos de vida, ela cresce apenas 5 centímetros para cima, mas as suas raízes crescem cerca de um metro e meio para baixo.

Se Deus comparou o processo de crescimento espiritual do discípulo com o Cedro do Líbano, é certo que Ele deseja que criemos raízes profundas, onde Ele nos plantou. É a raiz que dá firmeza e segurança a árvore. Quanto mais profunda a sua raiz, mais firme e segura a árvore estará. Ela conseguirá suportar a ação dos ventos e tempestades.

Mas como isso acontece na vida do discípulo? O que significam essas raízes profundas?

A RAIZ está relacionada as pessoas com quem convivemos desde o dia em que nascemos de novo! Pessoas que foram usadas por Deus para nos ensinar, fortalecer, formar nossas vidas. Essas pessoas são a nossa família, nossos irmãos em Cristo, a igreja, discipuladores, pastores etc. A Raiz que deve crescer para dentro do nosso coração, está relacionada a aliança, amor, sujeição, vínculo, paternidade espiritual. Para isso, precisamos descer, ou seja, nos humilharmos diante do nosso Deus deixando de lado o orgulho, a independência, a idolatria, a rebeldia, o desejo de ser deus e governar nossa própria vida.

Você é uma pessoa que tem raízes profundas? Como está a sua aliança que você tem com Cristo e com seus irmãos? Você está bem vinculado no Corpo de Cristo? Seu vínculo é um vínculo profundo e verdadeiro ou é apenas nominal? Você permanece ainda no lugar onde Deus te plantou? Precisamos responder essas perguntas, para compreendermos o processo de crescimento que Deus está realizando na nossa vida.

Existem árvores que suas raízes são superficiais. Se essas raízes são superficiais, na primeira tempestade que passar, ela será arrancada pelos ventos. Essas árvores que têm raízes superficiais, nós conhecemos muito bem, pois existem muitas delas nas ruas da nossa cidade. São árvores bonitas, cheias de folhas verdes que até produzem sombras, mas suas raízes são superficiais e isso faz com que essas árvores sejam destruídas com a ação dos ventos e combates que vêm sobre elas. Sempre que acontece chuvas fortes, elas são arrancadas pelas raízes. Tem vida curta porque suas raízes são superficiais.

O Sl 92.7 diz que ainda que os ímpios brotam como a erva, e florescem todos os que praticam a iniquidade, logo serão destruídos para sempre.

Assim acontece com pessoas que não criam raízes profundas. Essas pessoas vivem fora do contexto dessa comparação que Deus faz da vida do justo. Essas árvores, significam pessoas que não tem morada certa e que vivem perdidas sem um alvo bem definido.

O texto de EF 2.19 diz que: Nós não somos mais estrangeiros e nem peregrinos, mas concidadãos dos santos, somos da família de Deus. Assim agem as pessoas sem vínculos e alianças fortes. Elas vivem como estrangeiros e peregrinos no meio da igreja.

O que são peregrinos e estrangeiros? Um estrangeiro é alguém que não vai permanecer na família porque pertence a outra nação. É alguém que está apenas visitando por isso não cria raízes. O estrangeiro não permanece, porque seus costumes, suas leis, sua cultura são diferentes da cultura do Reino.

Um peregrino é um andarilho que não tem morada certa. Ele está sempre peregrinando de lado para outro por isso não cria razies. O peregrino também não é membro da família e por isso não se adapta nos lugares que passa.

O cedro do Líbano, uma vez plantado, ele permanece no mesmo lugar e suas raízes começam a crescer. Esse primeiro processo de crescimento, também depende de permanecermos onde formos plantados.

Temos a convicção de que foi Deus quem nos gerou, nesse tempo, nessa geração, nessa cidade, nesse lugar onde vivemos. Permanecer no lugar onde fomos plantados, não significa ficar estagnado no mesmo lugar. Não se trata de algo geográfico, mas de pessoas com quem vivemos e fomos instruídos. O Salmo diz: Que o cedro foi plantado na casa do Senhor e florescerá nos átrios do nosso Deus!

Onde é a casa do Senhor? A resposta é simples. A casa do Senhor e o átrio é a igreja, que são pessoas com quem nós temos uma aliança em Cristo. Esta aliança, vínculo paternal, deve permanecer, independente do lugar onde formos enviados. Seja nos confins da terra, devemos manter nossa aliança sempre polida.

Tudo isso faz parte do nosso crescimento: Aliança, vínculo, amor, sujeição. Se isso não é firme em nós, então precisamos rever e buscarmos isso para a nossa vida. Essas coisas nos darão segurança, firmeza e acima de tudo crescimento espiritual. Isso também tem tudo a ver com discipulado.

É isso que Deus está falando conosco, pois Ele diz que o processo de crescimento do justo, deve ser primeiramente para baixo. Deixar o orgulho, a independência, a idolatria, abandonar o desejo de ser deus e se humilhar diante daquele que é Senhor dos senhores e Rei dos reis. A quem pertence toda a glória, honra, majestade, poder, domínio, autoridade! Aleluia!

Criar raízes profundas – Crescer como Jesus (três anos do seu ministério caminhou em direção a cruz) – deixou exemplos tão fortes de amor e dependência de Deus o Pai. Jesus criou raízes profundas de amor, aliança, compromisso, com seus discípulos e com todas as pessoas com quem viveu nesse mundo. Se não criarmos raízes, iremos ignorar à aliança que temos, do companheirismo, da amizade, do cuidado pastoral, do discipulado, da paternidade espiritual. Isso pode acontecer no primeiro desafio ou dificuldades que passarmos.

Por isso é importante revermos esse princípio de crescimento que Deus nos revela. Se temos raízes profundas, significa que o nosso vínculo é real e iremos permanecer até o fim! Assim como o Cedro do Líbano, eu vou criar raízes profundas onde Deus me plantou! Aleluia!

2-Buscar água na verdadeira Fonte que é Cristo e Sua palavra:

V-14 - Na velhice darão ainda frutos, serão cheios de ceiva e de verdor.

O segundo processo do nosso crescimento é aprender a buscar água na Fonte que é Jesus e Sua palavra. A água é vital para a nossa sobrevivência, pois sem a água a pessoa morre. Assim também acontece na vida espiritual, pois sem bebermos da água que é a palavra de Deus, iremos morrer espiritualmente. Devemos ter uma atitude voluntária e constante de descermos até a fonte que é Cristo. Da mesma forma, quando temos sede, nós não ficamos esperando alguém ir buscar água para bebermos. Pelo contrário, nós vamos até o lugar onde tem água e bebemos até saciar a nossa sede.

Essa advertência é muito importante, pois existem pessoas que só bebem água quando alguém coloca na sua boca. Geralmente, são pessoas doentes com sua saúde comprometida e não conseguem se levantar de uma cama.

Espiritualmente, também existem pessoas que só bebem de Cristo quando alguém leva a água até elas. Isso só acontece quando ouvem uma ministração ou participam de um encontro da igreja. Pessoas que não tem atitude de meditar na palavra de Deus e que não descem para beber água na fonte. Essa é a razão da fraqueza espiritual, da inconstância na caminhada e da falta de fé para vencer os desafios.

Outra característica interessante sobre o cedro do Líbano, é que ele é muito resistente e suporta vento e calor. Suas raízes profundas buscam água nos lençóis freáticos e por isso ele não depende de chuva. É por isso que o Salmo 92 diz, quando compara o crescimento do discípulo, com o Cedro do Líbano. Ele diz que tanto o Cedro do Líbano como o justo, mesmo na velhice darão ainda frutos, serão cheios de ceiva e de verdor.

Assim deve ser o cristão. Para crescer à semelhança do cedro ele não pode viver na dependência dos fatores externos. Ele precisa aprender a aprofundar as suas raízes a fim de buscar água, mesmo em condições desfavoráveis de seca, calor e ausência de chuvas. Esse é o motivo pelo qual o Cedro produz fruto e está sempre com suas folhas verdes, porque Ele tem água em abundância.

Algumas pessoas colocam a culpa do seu fracasso, no seu discipulador e até mesmo nos irmãos que o cercam. Isso é um terrível engano, pois cada um de nós precisamos descer profundamente para achar água na fonte e não ficar na dependência de que possam trazer água para nós. É certo que somos o Corpo de Cristo e estamos todos ligados e dependemos uns dos outros, mas o princípio do crescimento vem da minha atitude de buscar água na fonte. Assim poderei servir de suporte para outras pessoas e cooperar com Deus na sua obra.

A água também está relacionada ao Espírito Santo que Jesus nos enviou em seu Nome. Jesus disse a mulher samaritana: Aquele, porém, que beber da água que eu lhe der nunca mais terá sede; pelo contrário, a água que eu lhe der será nele uma fonte a jorrar para a vida eterna. (Jo 4.14). Ele disse também aos seus discípulos:

Quem crer em Mim, como diz a Escritura, do seu interior fluirão rios de água viva. Isso Ele disse com respeito ao Espírito Santo que haviam de receber os que nele cressem. Jo 7.38-39

3-Estar bem fundamentado em Cristo:

V-15 - Para anunciar que o Senhor é reto. Ele é a minha Rocha e nele não há injustiça.

O terceiro processo do crescimento está em fundamentar as nossas vidas em Cristo. Isso está relacionado com a mensagem que ouvimos desde o nosso nascimento. Princípios de Deus que são inegociáveis. Proposito eterno de Deus, fundamento, casa na rocha, vida e obra de Jesus, discipulado, companheirismo, Igreja família, Corpo e Templo do Espírito Santo, casamento indissolúvel, Porta, Caminho e Alvo.

Tudo isso deve estar bem firme em nosso coração para não sermos enganados. Precisamos estar firmados na Rocha que é Cristo. Se não tivermos esses três princípios bem fortes em nós, não conseguiremos crescer. A palavra afirma que o Justo, crescerá como o Cedro do Líbano!

Esse terceiro processo de crescimento do Cedro do Líbano, nos ensina que suas raízes descem tão profundas até atingirem as rochas. Há informações de que muitas plantas quando alcançam a rocha, elas param de crescer e outras, acabam morrendo. A rocha se torna um obstáculo para o seu progresso.

No caso do cedro do Líbano, a Rocha não é um impedimento para ele crescer, pois a sua raiz continua a avançar em volta da rocha, abraçando-a. Enquanto algumas raízes veem na rocha um impedimento para a sua expansão, para o cedro, justamente o contrário. Quanto mais abraçado à rocha mais firme ficará.

Falando de pessoas, refiro-me aos que vivem fora da Palavra de Deus. Eles vão crescendo e desenvolvendo seus projetos pessoais até esbarrarem em Cristo e em Seus princípios inegociáveis, param e não conseguem prosperar à maneira de Deus porque seus métodos, fórmulas, motivações e ações são condenados por Ele.

O justo não é assim, pois ele continua crescendo até suas raízes se firmarem na rocha, abraçando-a e estabelecendo uma relação de maior intimidade.

Eles se apegam ao fundamento que é Cristo e crescem seguros e firmes, porque receberam de bom grado a mensagem do Reino de Deus. Por isso, o Sl 92. 15 diz que o justo está apto para anunciar que o Senhor é reto e que Jesus, a minha Rocha e nele não há injustiça.

Os que veem a Rocha como um obstáculo para o seu crescimento, são aqueles que se acham injustiçados por causa da mensagem do Evangelho do Reino, mas o justo vê na ROCHA uma motivação para crescer ainda mais.

O justo compreende que na ROCHA não existe injustiça. Foi o que Pedro escreveu na sua primeira carta, dizendo que, para nós, os que credes, é a preciosidade; mas, para os descrentes, A pedra que os construtores rejeitaram, essa veio a ser a principal pedra, angular e: Pedra de tropeço e rocha de ofensa. São estes os que tropeçam na palavra, sendo desobedientes, para o que também foram postos.” (1 Pedro 2:7-8)

Assim devemos ser, pois foi Deus quem disse que o justo crescerá como o Cedro no Líbano, isso significa, um crescimento seguro e apesar de lento, um crescimento constante. Vivamos isso na íntegra: Criando raízes profundas e plantados na casa do Senhor, bebendo da fonte da água viva e abraçando o único fundamento que é Cristo a nosso Rocha! Aleluia!

NO AMOR DE JESUS

DANIEL BEDA

Compartilhe com os amigos
Facebook Twitter Google+